Você já se perguntou como surgiu os implantes capilares? A tecnologia vem contribuindo muito para a evolução desse procedimento. Conforme comenta o médico cirurgião plástico Julio Cesar Yoshimura, a cirurgia plástica de transplante capilar iniciou-se na década de 30, tendo como precursor um dermatologista japonês chamado Dr.Shoji Okuda — pioneiro na área, que inicialmente era destinada às áreas lesadas por queimadura. Pensando nisso, se possui interesse no tema, siga na leitura deste artigo e desfrute dos conhecimentos do médico.

 

Caso você não saiba, mesmo sendo uma técnica recente, percebeu-se que os cabelos continuavam crescendo mesmo após enxertados. Assim, como explica o médico Julio Cesar Yoshimura, já na década de 60, desta vez em New York, o Dr. Norman Orentreich evoluiu o procedimento, fazendo recessões dos enxertos da área doadora com punches de 2,5 a 4mm, e a partir de então, transplantou para a área de alopecia. Desse modo, analisou-se que os folículos transplantados continuavam a crescer na área de calvície, mantendo suas características originais.

 

Mas você conhece as técnicas atuais?

É importante sabermos que foi apenas nos anos 90 que deu-se início a uma técnica de extração de unidade folicular, deixando o trabalho mais preciso e eficiente, diminuindo também os riscos de complicações. O médico cirurgião plástico, Julio Cesar Yoshimura expõe que antigamente a técnica recebia o nome de Fox (Folicular unit extraction), onde se usavam micropunchs, elementos esses que passaram a se tornar cada vez menores e mais elaborados para o procedimento.

 

Hoje, essa técnica foi dividida em duas principais formas de execução: FUE e FUT. Primeiramente, a técnica denominada Follicular Unit Extraction (FUE), pode ser aplicada tanto na área doadora da cabeça quanto em outras áreas (barba e tórax). Já a técnica Follicular Unit Transplantation (FUT) consiste na retirada de uma faixa de couro cabeludo para ser implantada em outra parte da cabeça. Entretanto, devemos ter ciência que há outras técnicas como a híbrida (FUT + FUE), BHT (Body Hair Transplant) e por fim a FUE (Manual, motorizada e robótica).

 

Entendendo melhor esse tipo de cirurgia, consegue perceber como foi um dos tratamentos que mais evoluiu nos últimos anos? O médico cirurgião Julio Cesar Yoshimura explica que os procedimentos cirúrgicos são adaptados para cada paciente, a depender da condição dele e das necessidades de cada um. Por isso, o ideal é consultar um profissional da área e realizar uma avaliação acerca do seu caso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui