A reunião é parte de uma série de encontros entre Carbonell e os secretários estaduais. Foram discutidas demandas das secretarias que podem contar com apoio financeiro de Itaipu Binacional e projetos prioritários para o futuro do Estado e do lago de Itaipu, como a necessidade de proteção das bacias do Paraná, do Piquiri e do Ivaí, aumento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de municípios do Oeste e Noroeste e continuidade de programas sociais e ambientais.

“O Paraná tem muita gratidão a tudo o que Itaipu tem feito pelo Estado, em especial na infraestrutura, na segurança pública e no saneamento. A ideia é continuar a parceria dentro da política de investimento da binacional. Temos bastante projetos que podem ser atendidos nos próximos anos. A ideia é construir soluções em conjunto para melhorar a qualidade de vida da população”, afirmou o governador Ratinho Junior.

A passagem de Carbonell por Curitiba antecede o encontro de diretoria da Itaipu, onde será discutida a viabilidade dos projetos, e permite acesso ao planejamento do Estado onde a usina está inserida. Segundo o diretor, há uma preocupação muito grande por parte do governo federal e da diretoria de vincular os projetos ao escopo original da binacional, que é desenvolvimento econômico dos municípios que integram sua área de atuação e proteção dos recursos naturais para continuidade da operação.

“A ideia é saber quais possibilidades para incluir no Orçamento de 2021, 2022 e 2023. É importante saber o que podemos fazer com antecedência. Há vários projetos que unem interesse da empresa e interesse do Governo do Estado e dos municípios. Queremos potencializar os resultados”, afirmou.

Os projetos apresentados à Itaipu contemplam diversas áreas e centenas de municípios conectados direta ou indiretamente ao Rio Paraná e outras bacias hidrográficas do Estado. Do lado ambiental, a discussão envolveu combate à erosão na região Noroeste; gestão de resíduos sólidos com geração de energia; instalação de placas fotovoltaicas; proteção ambiental da região do lago de Itaipu; reativação de uma base náutica em Foz do Iguaçu; e a construção de um novo batalhão para a Polícia Ambiental.

Com AEN