Duas coisas tiram hoje o sono do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto: a vacinação no Brasil, que vai ditar o ritmo de abertura da economia, e o risco de descontrole das contas públicas. Os dois fatores estão no radar do BC para a definição dos próximos passos da taxa Selic, os juros básicos […]

O post apareceu primeiro em Diário Indústria & Comércio – Jornal Curitiba – Economia, Publicidade Legal, Balanços, editais, Politica, esporte, policial, turismo, saúde, tecnologia.