Reprodução da CMC

Na última semana da sessão legislativa de 2020, a pauta da sessão plenária de segunda-feira (14), na Câmara Municipal de Curitiba (CMC), tem 16 projetos de lei. A única proposição da Prefeitura de Curitiba é um pedido de autorização da CMC para a cidade virar sócia da Companhia Paranaense de Energia (Copel) no empreendimento Usina Fotovoltaica e de Biomassa Caximba S/A – na mesma área do aterro sanitário desativado há 9 anos. A usina seria uma sociedade de propósito específico (SPE), de capital fechado e de direito privado.

No mesmo dia será votado projeto de Pier Petruzziello (PTB) que reconhece a prática de atividades físicas em academias e espaços públicos como atividade essencial durante a crise de saúde provocada pela covid-19. Na prática, a iniciativa retira das restrições impostas durante a pandemia o funcionamento desses espaços, com a justificativa que o sedentarismo traz prejuízos à saúde da população.

O plenário também analisará, de Bruno Pessuti (Pode), a autorização para a geração de energia elétrica nos lagos dos parques da cidade, em especial com o uso de placas fotovoltaicas flutuantes, e a imposição de um limite aos apitos de alerta emitidos pelos trens que circulam dentro do espaço urbano da capital. Este último projeto, dos trens, motivou uma audiência pública em 2019 e estava apto à votação em plenário desde dezembro de 2018.