Integrada e atenta aos movimentos da sociedade, a Fomento Paraná vem aumentando o número de mulheres no quadro de colaboradores e nos cargos de gestão nos últimos anos, trazendo uma nova visão à tomada de decisão de crédito. Ao mesmo tempo, a instituição financeira tem olhado, sob orientação do Governo do Estado, para as mulheres empreendedoras com linhas especiais.
“A participação maior de mulheres na Fomento Paraná tem muita relação com o novo papel da mulher no mercado de trabalho. E a mescla é muito salutar uma vez que algumas habilidades femininas vem complementar um quadro predominantemente masculino”, afirma Mayara Puchalski, diretora administrativa e financeira da instituição financeira estadual desde 2019.
A diretora faz referência também ao fato de que cada vez mais mulheres estão à frente de cargos estratégicos de grandes empresas, ou como personalidades políticas, e isso também acontece na Fomento Paraná. “Temos hoje 15 mulheres a frente de cargos de gestão e assessoria trazendo um olhar diferenciado para a discussões e influenciando nas tomadas de decisão”, destaca. “Ter mulheres no quadro é um diferencial e contribui muito para o equilíbrio nas discussões, principalmente por ser um quadro dinâmico e resiliente, com potencial de realizar multitarefas”.
O quadro de colaboradores da Fomento Paraná conta hoje com 187 pessoas, sendo 75 mulheres que compõem o quadro próprio, pessoal de livre nomeação ou à disposição, membros da diretoria, conselhos e comitês estatutários ou ainda estagiários. São 15 cargos de gestão e assessoria e de comitês ocupados por mulheres. Além disso, a instituição possui 207 mulheres de um total de 376 cadastros ativos de agentes de crédito ou correspondentes.

Dedicação
Uma colaboradora da Fomento Paraná tem um especial carinho de todos na instituição e é recebida com muito respeito em todo o Estado, por onde passa, por sua longa trajetória profissional e também política. É a professora Emilia Belinati, ex-vice-governadora e ex-deputada estadual. Muito ativa, atualmente como assessora do diretor-presidente da instituição, Emilia Belinati destaca o olhar humano da mulher no exercício de suas tarefas.
“A mulher é importante porque ela consegue enxergar não só a questão técnica ou profissional de sua área, mas consegue se colocar no lugar do outro, do cliente, do colega de trabalho, e consegue observar as possibilidades para e alternativas para resolver as questões, olhando sempre como um ser humano que precisa ser compreendido e ter suas atividades e sua reivindicação atendida”, diz.
Dados do Sebrae mostram que mais da metade dos novos negócios são abertos por mulheres, especialmente no setor de serviços. A maioria empreende por necessidade, para cuidar dos filhos e sustentar a família. Quase todas precisam começar do zero, sem recursos, ou com alguma poupança familiar, pois pouquíssimas têm acesso a crédito para iniciar a atividade.
Além de valorizar a presença e o trabalho da mulher, a Fomento Paraná desde 2019 é responsável por uma política pública de incentivo ao empreendedorismo feminino facilitando o acesso ao crédito para mulheres empreendedoras paranaenses, para gerar emprego e renda. O programa Banco da Mulher Paranaense se apoia em dados que mostram que mulheres empregam mais mulheres e dessa forma busca combater o efeito das crises no emprego feminino, que é sempre mais sensível.
Duas linhas de crédito foram criadas sob a marca de Banco da Mulher Paranaense, lançado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, e já contabilizam quase R$ 50 milhões em empréstimos e financiamentos para atender em torno de 4 mil empreendedoras.
Uma das beneficiadas é a esteticista Ana Victória Antunes, moradora de Cambará, no Norte Pioneiro do Estado. Filha de uma família de empreendedoras, Ana é formalizada como Microempreendedora Individual e atua no ramo de estética há três anos. Ela foi afetada pela queda no movimento de clientes no ano passado, a partir do início da pandemia da Covid-19, e teve que paralisar as atividades, por conta de decretos de autoridades municipais e estaduais. Com redução nas receitas e dificuldade para adquirir materiais de trabalho, ela descobriu o crédito da Fomento Paraná disponível por meio da Sala do Empreendedor de Cambará.

“A Fomento me ajudou a manter o meu negócio nesse momento mais difícil, até que as coisas começassem a voltar ao normal. Eu consegui equilibrar as contas e manter meu espaço. Estou até com projeto para expandir um pouco mais, o que não seria possível se não tivesse pego esse crédito”, diz. “Minha área requer atualização permanente e eu também usei o crédito para continuar nesse processo para continuar empenhada no que eu faço, manter o foco e correr atrás”.

Evento debate participação das mulheres na ciência
POLÍTICA PÚBLICA – Para a primeira-dama do Estado, Luciana Saito Massa, que é uma das mentoras e também madrinha do Banco da Mulher Paranaense, os exemplos de sucesso do programa de apoio ao empreendedorismo são motivos de muito orgulho para o Estado do Paraná.

“Nesse dia especial me sinto muito honrada de ser madrinha desse grande programa de auxílio às mulheres”, afirma Luciana Massa. “O Banco da Mulher Paranaense já é um sucesso. Desde a sua criação o programa já liberou quase R$ 50 milhões em crédito, o que auxiliou cerca de 4 mil mulheres a realizar seu sonho de empreender. Fico orgulhosa de poder ver o empreendedorismo feminino ganhando força em nosso Estado”.

Ela destaca também uma característica muito forte das mulheres. “Nós somos multitarefas. Trabalhamos, cuidamos da casa, dos filhos, e estamos sempre nos reinventando e inovando, ainda mais nesse momento de pandemia onde tivemos que aprender novas habilidades para nos encaixar nessa nova rotina”, afirma. “Fico muito feliz ver grandes mulheres ocupando seu lugar na sociedade, pois isso só reforça nossa força, determinação e vontade de vencer”.