Foto: Hully Paiva/SMCS

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec), reuniu-se na tarde desta segunda-feira, dia 18 de janeiro, por videoconferência, com prefeitos e secretários dos municípios da Grande Curitiba.

Ao lado do vice-prefeito Eduardo Pimentel, o prefeito Rafael Greca enfatizou que Curitiba é parceira dos municípios da Região Metropolitana. O presidente da Assomec lembrou que os prefeitos dependem do fornecimento das vacinas.

“O Brasil não pode perder tempo. E nós temos que fazer o que for preciso para sairmos dessa situação. Até que estejamos vacinados em número suficiente, ainda somos uma comunidade doente e as cautelas sanitárias continuam”, declarou. Ele ressaltou que não há interesse econômico que se sobreponha à vida. “Uma asa é a saúde, a outra é a economia”, comparou.

De acordo com Rafael Greca, o fechamento dos estabelecimentos em Curitiba aos domingos e a lei seca do Governo do Estado ajudam a reduzir a taxa de transmissão. Ele defendeu uma política comum de combate à covid.

Greca lembrou ainda do prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, que faleceu há poucos dias em decorrência do novo coronavírus.

O prefeito de Almirante Tamandaré e presidente do Consórcio Metropolitano de Saúde do Paraná (Comesp), Gerson Colodel, lembrou que Puppi foi um dos incentivadores da criação do fórum relativo à covid, em junho de 2020.

O diretor de Gestão em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde, Vinícius Filipak, apresentou aos prefeitos os dados disponíveis no sistema epidemiológico do Paraná e afirmou que o aumento registrado nos últimos dias é reflexo da movimentação de pessoas no fim do ano. Ele considera preocupante o crescimento das internações.

O diretor da 2ª regional de Saúde, que compreende os 29 municípios das Grande Curitiba, José Dalmi Dissenha, detalhou indicadores das cidades da Região Metropolitana. Ele destacou a importância do Fórum para o diálogo e a troca de informações entre os prefeitos.