Eleito pela terceira vez para comandar a Prefeitura de Curitiba, Rafael Greca (DEM) tomou posse nesta sexta-feira (1º). Greca governou a cidade entre 1993 a 1996; e 2017 a 2020.

Na posse, o prefeito falou um pouco sobre a estratégia de vacinação contra covid-19 em Curitiba. A capital foi uma das primeiras do Brasil que assinou um acordo com o Governo de São Paulo para compra da Coronavac.

Foto: Rodrigo Fonseca/CMC

“Nós dependemos de laboratórios internacionais e de duas instâncias de governo: o governo estadual de São Paulo e o governo federal do Brasil. Tanto a minha conversa com o Butantã, quanto a minha conversa com o ministro Pazuello, com o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, é que vão ao longo dos próximos dias, definir a ideia da vacinação que será prioritária para os 70 mil profissionais de saúde de Curitiba”, disse.

Greca garantiu ainda que não faltarão seringas para a vacinação. “O grande desafio dessa nova gestão é devolver a cidade para a normalidade pós-pandemia para nossa cidade, é promover a retomada econômica após uma vacinação em massa, a mais eficaz e intensa possível. Como eu gostaria que a prefeitura pudesse fabricar vacinas, mas isso não é possível, dependentes que somos dos grandes laboratórios internacionais e também do arbítrio de outras esferas de governo. Vamos empenhar todo o nosso capital político para que Curitiba fique imune já e o mais rápido possível”, afirmou.