Foto: reprodução/arquivo

Nunca se falou tanto em saúde quanto em 2020 e neste início de 2021. Com a pandemia mundial, reforçou-se a importância da manutenção de hábitos saudáveis para a prevenção de doenças e para o fortalecimento da imunidade – e, neste quesito, as frutas e hortaliças ganharam ainda mais destaque! Embora não evitem doenças, o consumo de HFs pode reduzir a gravidade de infecções e até colaborar para a recuperação.

Foi por esses e outros motivos que as frutas e hortaliças ganharam um ano só para elas. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) designou 2021 como o “Ano Internacional das Frutas e Vegetais”. O objetivo é levar informação e conscientizar a população global sobre os benefícios nutricionais e para a saúde que os hortifrútis promovem, como apoiar as funções do corpo e o bem-estar físico e mental em todas as idades, ajudar a prevenir a desnutrição e reduzir o risco de doenças não transmissíveis.

E a importância dos HFs vai além dos benefícios nutricionais. O setor tem forte interferência nos desenvolvimentos socioeconômico e ambiental do planeta. Assim, a FAO faz importantes reflexões sobre a redução de perdas e desperdício de alimentos e a promoção da sustentabilidade na produção, distribuição e comercialização das frutas e hortaliças. Promover os hortifrútis é, ainda, uma ótima oportunidade para melhorar as práticas agrícolas, apoiando principalmente os pequenos agricultores familiares, a fim de ampliar as opções de mercado para milhões de trabalhadores rurais.

Neste sentido, a edição de fevereiro da revista Hortifruti Brasil reafirma seu compromisso com o setor, divulgando os principais pontos da campanha da FAO e destacando as tendências que podem promover o aumento do consumo de HF em 2021. Clique aqui e confira!

Fonte: Cepea/Hortifruti