Foto: Daniel Castellano / SMCS

Além de não descuidar da manutenção do sistema de iluminação pública, com 317.748 trocas de luminárias danificadas entre janeiro de 2017 e dezembro de 2020, a gestão Rafael Greca está promovendo uma revolução luminotécnica em Curitiba. O plano de substituição de luminárias de vapor de sódio de alta pressão e metálica por equipamentos com tecnologia de LED chegará a 60 mil pontos de iluminação pública até o fim de 2020.

Para os próximos quatro anos de gestão, Greca projeta seguir modificando os pontos de iluminação da cidade.

“Pretendemos que todo sistema público que ilumina Curitiba tenha luminárias de LED. Será um avanço de qualidade e sustentabilidade, pois esses equipamentos duram mais e consomem menos energia”, disse o prefeito.

A troca alcançou, até o dia 8 de dezembro, 55.578 pontos. As luminárias de LED são mais eficientes, pois iluminam melhor gastando 50% menos energia; são mais duráveis, com vida útil de 50 mil horas ou seis anos; e, também, não contém mercúrio, não emitem calor e nem raios ultravioleta.

Conforme explica o secretário municipal de Obras Públicas, Rodrigo Rodrigues, em apenas dois anos, o trabalho de substituição das luminárias chegou a 37,5% dos aproximadamente 160 mil pontos de Curitiba.

“A marca é inédita e equivale ao sistema completo de iluminação pública de outras capitais brasileiras como João Pessoa, Natal e Maceió”, apontou Rodrigues. feito em 2.078 pontos de iluminação.