Divulgação

Técnicos da Itaipu Binacional estimam que até 31 de dezembro as obras da Ponte de Integração, segunda ligação entre Brasil-Paraguai, chegarão a 50% de conclusão nas duas margens do rio Paraná. A obra, financiada pela entidade no valor de mais de 480 milhões de reais avança de forma constante.

Do lado paraguaio, as tarefas de soldagem dos diafragmas metálicos foram recentemente concluídas e já estão em andamento os trabalhos de cofragem do primeiro tabuleiro. Da mesma forma, é intensificada a execução do primeiro trecho da coleção, conhecido como “Y” invertido, que apoiará os tensionadores da futura ponte.

Do lado brasileiro, esta semana culminou a mudança da terceira prancha e a quarta está em preparação; além da ereção da coleção que já está tomando forma.

Trabalho Não Para

Considerado um dos mais importantes empreendimentos da Tríplice Fronteira e, consequentemente, para o Mercosul, a construção da nova ligação rodoviária teve início em agosto de 2019, antes da crise desencadeada pela pandemia da covid-19. Apesar da emergência de saúde, que causou uma grande recessão econômica, o projeto continuou e atualmente está fazendo um progresso significativo.

Estaiada, a ponte terá 760 metros de extensão, com vão livre de 470 metros, o que a tornará a maior da América Latina. Sua principal função será descongestionar o tráfego de veículos pesados ​​na área e contribuir para o desenvolvimento econômico da Tríplice Fronteira.

Trabalhos Adicionais

Em 16 de dezembro, a Câmara dos Deputados do Paraguai aprovou o projeto de lei que viabiliza o contrato de empréstimo de até US$ 212 milhões, assinado pela Cooperação Andina para o Desenvolvimento (CAF), para as obras complementares da ponte do lado paraguaio.

Os recursos serão usados ​​para construir o acesso à segunda ponte internacional entre as duas nações, que ligará Presidente Franco (Alto Paraná) a Foz do Iguaçu.