Foto: Brunno Zotto/Facebook/Arquivo Pessoal

Internado há um mês e meio, o prefeito de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, Marcelo Puppi (DEM), morreu na madrugada desta quinta-feira (7) no Hospital Nossa Senhora do Rocio. Ele contraiu o coronavírus, teve complicações e não resistiu à doença. Puppi deixa esposa e filhos.

A informação foi confirmada pelo hospital. Na quarta-feira (6), havia notícias de que Puppi estaria sem reação cerebral, mas uma nota durante a noite confirmou que o prefeito apresentava a estímulos. Durante a madrugada, no entanto, o prefeito teve uma piora e faleceu.

Ele chegou a passar por uma cirurgia de urgência nesta madrugada. A informação foi pelo filho do prefeito, Christiano Puppi. “Em um último procedimento foi tentada uma cirurgia, por meio de uma máquina de circulação sanguínea para corrigir a questão da saturação dele que tinha baixado muito nos últimos dias. Mas, pelo visto, a hemorragia que aconteceu e as complicações foram fatais. Essa hemorragia levou a um prejuízo respiratório e em mais órgãos, também”, lamentou Christiano.

“Meu pai teve o diagnóstico de covid logo após a eleição e a partir desse momento travou uma batalha muito difícil, muito árdua. Precisou de hospitalização, ficou quase 40 dias em UTI, foi entubado, apresentou uma melhora significativa nos últimos dias. Ele conseguiu tomar posse, voltou a ter uma lucidez, aos sentidos, até a uma capacidade respiratória boa, novamente. Mas, infelizmente, na segunda-feira ele apresentou uma hemorragia severa, uma situação de choque, e isso fez com todos os indicativos vitais piorassem, onde ele precisou voltar para o coma e acabou não resistindo”, disse ele.

Internado
O prefeito de Campo Largo estava internado no Rocio desde o dia 25 de novembro, um dia depois de confirmar por meio de um exame laboratorial a contaminação pelo coronavírus. Dois dias depois, ele já apresentou piora no quadro de saúde e precisou ser transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo boletim médico divulgado diariamente, Puppi precisou ser entubado no dia 14 de dezembro ao ter piora no quadro respiratório, e no dia 5 de janeiro retornou para o coma induzido.

Contaminação
A esposa de Puppi, Daniela Corsini Puppi, também chegou a ser internada, mas recebeu alta hospitalar dias depois.

Eleições
Marcelo Puppi foi reeleito prefeito no dia 15 de novembro com 39,26% dos votos.