Na coluna de Bela Magale, em O Globo, ela relata que os assessores mais próximos do presidente Jair Bolsonaro não sabem mais o que fazer para convencer o “chefe” a usar máscara em aparições públicas. O presidente ignora os pedidos e a prevenção contra a Covid-19, andando sem máscara e abraçando populares.

QUEDA DE POPULARIDADE

A medida dos auxiliares de Bolsonaro é uma tentativa de frear a queda de sua popularidade, diante do cenário da demora na vacinação. Mas nada adianta, o Messias só faz o que lhe dá na telha, sem medir consequências. Segundo o Datafolha, a porcentagem de eleitores que acha a gestão do presidente como ótima ou boa é de 31%. Na última pesquisa era 37%.

PRIVATIZAÇÕES

As prometidas privatizações do governo federal continuam sem sair do papel. O pedido de demissão do presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, pode acelerar o passo do governo. O próprio Bolsonaro admitiu isto em evento com investidores. Disse o presidente na reunião: “Em 2021, vamos acelerar o calendário de privatizações e dar continuidade às medidas de aperfeiçoamento do ambiente de negócios. Queremos regulamentos mais simples e menos onerosos, para destravar o imenso potencial do Brasil e facilitar o trabalho da iniciativa privada”.

NA BOLSA

O pedido de demissão do presidente da Eletrobras começou a ter efeito na Bolsa de Valores apenas nesta terça-feira, já que segunda-feira foi feriado em São Paulo e a B3 não funcionou. Mas na abertura do pregão, as ações da Eletrobras tiveram forte queda, em torno dos 10%. As ações da companhia brasileira negociadas na Bolsa de Nova York caíram 11% na segunda-feira.

COPOM

O Copom (Comitê de Política Monetária) divulgou na terça-feira a ata da sua última reunião, onde relata que chegou a avaliar a possibilidade de elevar a taxa básica de juros. Na reunião da semana passada, a taxa Selic foi mantida em 2%. O texto da ata deixa aberta a possibilidade para reajuste da taxa na próxima reunião: “Pouca previsibilidade associada à evolução da pandemia e ao necessário ajuste dos gastos públicos a partir de 2021 aumenta a incerteza sobre a continuidade da retomada da atividade econômica”.

MÁSCARAS

A 3M, megaempresa americana que atua em diversas áreas, obteve alto faturamento com a venda de máscaras no quarto trimestre de 2020. A companhia teve um lucro líquido de US$ 1,389 bilhão, com aumento de 43% sobre o mesmo período de 2019. A empresa se beneficiou do aumento da demanda por equipamentos de proteção individual, como máscaras de proteção, além de produtos para limpeza geral, data center e filtração biofarmacêutica, segundo comunicado.

EM BAIXA

Uns lucram, outros perdem. A Xerox também divulgou balanço do quarto trimestre de 2020. Com a maioria dos escritórios fechados, a companhia viu seu lucro despencar nos últimos três meses do ano passado. O resultado da Xerox no período foi de US$ 77 milhões. “A pandemia da covid-19 impactou significativamente nossa receita de vendas de equipamentos durante o quarto trimestre de 2020 como resultado de fechamentos de negócios e restrições de capacidade de prédios de escritórios que retardaram as decisões de compra de nossos clientes”, disse a Xerox em comunicado.

BRASILEIRO

O grupo AGCO, líder mundial em fabricação e distribuição de máquinas agrícolas, anunciou uma série de mudanças no comando dos cargos de chefia. O brasileiro Luis Felli será o vice-presidente sênior mundial da marca Massey Ferguson. A companhia detém ainda as marcas Fendt, Valtra e Challenger.

FERTILIZANTES

Os fabricantes de fertilizantes no Brasil estão otimistas para 2021. O setor cresce, em média, entre 2% e 3% ao ano, mas em 2020 o crescimento foi de 6%. Os produtores de fertilizantes apostam que neste ano o Brasil comercialize cerca de 40 milhões de toneladas do produto, marca inédita do setor.

SOJA

Conforme o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a área plantada com soja no Brasil aumentou 3,4% entre a safra 2019/20 e a 2020/21, chegando a 38,2 milhões de hectares. Impulsionada pelo uso de tecnologias – entre as quais os fertilizantes -, a produção cresceu 7,1% na mesma base de comparação, para 133,7 milhões de t.